A Empresa

Informações

Dúvidas Frequentes



Qual a diferença entre os vários tipos de DVDs


Devido a grande popularização de drives de CD e DVD nos últimos anos, surgiram novas tecnologias de acesso a dados e muitas pessoas ficam em dúvida ou às vezes nem sabem do que se trata.


Essa matéria irá mostrar algumas diferenças entre as nomenclaturas das mídias de CD e DVD à venda hoje no mercado. Veja as diferenças e compatibilidades na tabela abaixo.


As denominações "-" e "+" nos DVD-R, DVD+R, DVD-RW e DVD+RW significam o padrão do DVD. O DVD-R segue os padrões do DVD Fórum (http://www.dvdforum.com/forum.shtml), já o DVD+R segue os padrões do DVD+RW Alliance (http://www.dvdrw.com). Para o usuário final, essas diferenças de padrão não têm tanta influência, mas acredita-se que um DVD no formato "+" tenha uma arquitetura melhor.


A única diferença que afeta o usuário final é que existem drives de DVD que lêem discos no formato "-" mas não o formato "+". Os drives de DVD atuais geralmente possuem suporte aos dois formatos, mas ainda existem drives que apenas lêem o formato "-".


Single e Dual Layer


Normalmente os DVDs possuem apenas uma camada reflexiva, esse tipo de disco é chamado de Single Layer ou DVD-5.


1: Rótulo do CD


2: Camada de policarbonato, um termoplástico usado para moldar CDs e DVDs. Ele é usado por possuir as propriedades óticas e mecânicas necessárias.


3: Camada de união entre duas faces


4: Camada reflexiva onde os dados são armazenados



Tanto o DVD-R(W), +R(W) e -RAM possuem outras versões chamadas de Dual Layer (DL). O Dual Layer é um outro modo de produção de DVDs onde o disco possui mais de uma camada reflexiva (ou gravável), isso aumenta bastante o tamanho de armazenamento de um DVD.


Tipos de Dual Layer


Existem também diferentes tipos de Dual Layer que são chamados de DVD-9, DVD-10, DVD-14 e DVD-18.


    * DVD-9: Possui duas camadas e um lado, o outro lado é a impressão do fabricante. Sua capacidade é de 8.5 GB.



      1: Rótulo do CD

      2: Camada de policarbonato, um termoplástico usado para moldar CDs e DVDs. Ele é usado por possuir as propriedades óticas e mecânicas necessárias.

      3: Camada reflexiva onde os dados são armazenados

      4: Camada de união entre duas faces

      5: Camada semi-reflexiva onde os dados são armazenados


    * DVD-10: Possui uma face de gravação para cada lado e uma camada por face, ou seja, o DVD não possui nenhuma imagem impressa em sua superfície. Sua capacidade é de 9.4 GB.



      1: Camada de policarbonato, um termoplástico usado para moldar CDs e DVDs. Ele é usado por possuir as propriedades óticas e mecânicas necessárias.

      2: Camada reflexiva onde os dados são armazenados

      3: Camada de união entre duas faces

      4: Camada semi-reflexiva onde os dados são armazenados



Outros tipos (menos conhecidos) de DVD Dual Layer



    * DVD-14: Possui duas faces, uma com duas camadas e a outra com apenas uma. Este DVD também não possui nenhuma imagem impressa na superfície. Sua capacidade é de 13.2 GB.



    * DVD-18: Possui duas faces e duas camadas. Sua capacidade é de 17.1 GB.




Sobre autoração de DVDs


Autoração

É o trabalho de programação de um projeto audiovisual no qual os vídeos, áudios, legendas, telas gráficas, imagens e animações são integrados em um processo de codificação para se gerar o pré-master, que é utilizado para replicar os discos CD ou DVD.


Diferença entre VCD e DVD

O VCD (VídeoCD), utiliza a compressão MPEG1 e roda em computadores ou aparelhos DVD-Players configurados para VídeoCD. Suporta até 70 minutos de vídeo e é ideal para apresentação de projetos audiovisuais de empresas.

Já o DVD (Digital Versatile Disc), utiliza compressão MPEG2 e roda em aparelhos denomidados DVD Players; suporta no minimo 4.2GB dependendo do formato do DVD; e além de servir também para apresentação de projetos audiovisuais das empresas é muito utilizado para documentários, filmes, clips entre outros.


Substituição ao VHS

O número de DVDs hoje nas prateleiras das locadoras já ocupa um espaço considerável e a medida que o valor do aparelho de DVD-Player abaixa, facilita um acesso maior das pessoas a essa maravilhosa tecnologia.

No caso do VCD, mais de 90% dos aparelhos de DVD-Player a venda hoje, são compatíveis com os discos de VideoCD o que facilita em muito a apresentação dos projetos autorados em VCD, também no DVD-Player.

É muito mais prático assistir a um projeto de uma empresa em VideoCD, do que numa fita de vídeo, pois a mesma não pode ser reproduzida em computadores e tem que ser rodada na integra, enquanto que no VCD, o conteúdo das informações é acessado aleatoriamente de acordo com a necessidade do usuário.


Vantagens do DVD sobre o VHS

Qualidade de imagem impecável; Tecnologia Progressive Scan; Som Dolby Digital; Grande capacidade de armazenamento; Durabilidade; Não sofre desgaste com o uso contínuo; Interatividade com menus animados; Acesso instantâneo a qualquer parte do disco; Recursos multimídia, etc.


Etapas para se fazer um trabalho de autoração

É preciso antes saber do cliente exatamente o que quer, como por exemplo:

- Quantos menus e sub-menus terá o projeto.

- O design dos menus, se será fornecido pelo cliente ou se será criado pela equipe de designer da produtora.

- Quantas trilhas de áudio/legendas /idiomas.

- Se os menus serão animados ou fixos.

- Quanto tempo de vídeo será compilado para o projeto.

- Que formato será entregue o vídeo; Betacam, S-VHS, entre outros.

A partir dessas e de outras informações damos início a composição, programação e conseqüentemente o desenvolvimento do projeto.


Aplicações para o VCD - VideoCD

Devido a sua praticidade, durabilidade e dimensões reduzidas, o VideoCD é utilizado em diversas aplicações:

- Projetos audiovisuais de empresas

- Arquivo de acervos / memória digital

- Eternizar fitas de vídeo que se deterioram com o tempo.

- Armazenamento, pois o VideoCD ocupa bem menos espaço do que uma fita de vídeo.

- Compatibilidade com computadores facilita a reprodução de vídeos em empresas.

- Compatibilidade com aparelhos de DVD-Player facilita seu uso doméstico.


Termos


Replicar

Quando o DVD foi desenvolvido, o homem conseguiu unir, num pequeno disco, a arte, a ciência e a tecnologia. Os discos de DVD, depois de prontos, possuem a mesma qualidade de som e imagem que a matriz usada para sua fabricação. Daí os especialistas afirmarem que no DVD não existem cópias e sim réplicas.


Pré-masterização e masterização

Toda cadeia de produção de DVD é extremamente complexa e envolve sistemas de alta tecnologia. A pré-masterização é o processo no qual é gravada uma fita de dados com a imagem final do DVD gerada pela empresa de autoração. Já a masterização é um processo industrial feito pela empresa que faz a replicação na qual são gerados os stampers ou moldes onde são injetados os discos.